segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Imaculada


Tantos laços na memória,e eu me esquecendo de por um no cabelo."Vamos fechar os olhos..."
Ela tem essa graça de estar sempre pronta querendo abraçar o mundo,quem diria!
Não à culpe.Esconder os medos na gaveta deixa-os longe de confusão.E confusão,ora veja,
é teu peito cheio,carregado,mas transbordando de amor.Talves alguém lhe pediria que se calasse,
que lhe fizesse respeito,e se colocasse sobre a mesa em uma pose de trator.Mas perdoe-os,
são todos meninos escondidos.E teus modos são tão soltos minha fada,que não os perdoo por querer teu silencio.

- Vamos Ba,solte as borboletas!

Não te iludas com o olhar da noite cara menina,ela é toda venenosa,cheia de espinhos bonitos e atraentes.
Me empeça de pular,me mergulhe nesse abraço longo que tu tens.Abre os braços para caber mais! Que tem muita dor aqui dentro,
tem muito choro que não chóro,muito amor que não distribuo,muita palavra engasgada.Abre os braços para que eu caiba ai dentro.
Sereno cinza,e ela vai lá carregando uma cesta de corações curados.Se fosse verão,ela certamente cantaria.
E eu me pego olhando teus passos,um,dois,três,quatro,cinco...De repente ela não está mais no chão.

Imaculada.Doce remédio esse sorriso.Eu muito buscaria para que ela não se deixasse corromper,não se permitisse esfriar.
Não se deixa esmurecer,não perca a cor,a flor,não perca o sol,não muda a música,se deixa à deriva,e me espere na esquina.
Que eu fui buscar meu suéter,fui ter certeza de que tranquei a porta,fui lavar o rosto e deixar meu menino trancado no meu quarto.
Ele me assusta.Eu engoliria tua inocência se me fizesse dever,e dela eu seria um fruto de alegria.Fada,me me permita 3 desejos:
- quero ter paz ao ver o sol.
- quero ter medo do escuro
- quero teus passos,sempre soltos,mais seguros.
Durma então criança,e se envolva num sonho longo.Segure as mãos do teu amado,seja eterna bailarina,seja quente e fale alto.
O mundo anda devasto,e as sombras tem me feito submergir.Me segura,me protege.Eu me encanto de novo em teu mundo,
e suas borboletas me devoram de prazer.Sou teu anjo maculado,teu veneno desvairado,sou tua música ruim,teu vestido desbotado.
Ei Fada,não vai ainda,me leva esta carta.Não te esqueces de meu mundo,e quando voar me leve!


Ei,olha só pro horizonte,aquilo são flores?


(Elisama Oliveira)
Postar um comentário