domingo, 13 de novembro de 2011

Incógnito

Não peça permissão,não me adorne de promessas.Voa criança,para bem longe.Não te assombres com o mundo,ele é teu leito agora.Seu lar tem estado devastado ultimamente,mas não te pressa,teu passarinho ainda canta.Cresce criança,e não tenha medo do escuro.Ele já foi teu berço.Voa criança,e me escreve,sempre que o dia nascer.

(Elisama Oliveira)
Postar um comentário